sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Caçadores de almas

“Que não seja mais por meio de luta” provavelmente disse um daqueles que pensavam. Se decidiram realizar o que quer que seja que havia se pensado há tempos atrás já não importa. O mundo já anda infestado deles por qualquer lugar e não se frustre buscando-os. Da mesma maneira que fortes, também são astutos, aliás, astúcia deveria ser o maior item a ser medido a calão destes, depois da profundidade em alma.
O mundo responde às suas ordens e gira em torno do que procura algo sedento por alma. Seus olhos só fogem às poucas deliberações de sentido e curiosidade. Nada do que pode ser descoberto será visto com mesmos olhos por terceiros. O cheiro de má índole oprime os olhos a serem encantados e estes botam imprudência no dom dado aos intensos. São estes os desprovidos de razão, os enfeitiçados pela aura alheia. Os sugadores de sentido têm suas razões e não basta culpá-los para entender... Eles precisam ser eles mais do que tudo... como animais famintos eles destilam necessidades, muitas vezes impensadas e incompreensíveis.
Abraça-o com gratidão e ganhe o mundo em suas mãos. Viaje num profundo mar de paixões e alucinações degeneradas. Adquira poder e ganhe aptidão em vida.
Se de mau olhados foram taxados, deveras reprimidos em suas próprias escuridões escondem o que de mais sombrio e fascinante têm a oferecer-lhe... Loucos de pedra... prontos para passar-lhe a doença da vida; aquela que chamam de felicidade.
Loucos corteses de alma suja e sedenta de outras. Não só vivem do bem como amam o mal, deliciam-se na dor como se esse fosse o próprio livro dos sábios. Dançam baixo o luar como deitam as mocinhas em suas camas, aflitas. Brincam de serem fortes assim como joviais rapazes convictos e fracos. Logram o mais difícil e comemoram com o vinho dos grandes.
Utilizam de máscaras para convívio íntegro de seus manipulados, buscam neles o pouco de moralidade que lhes possam atribuir. Que lhes manipulem um pouco para saberem que de coração são dotados e que o mesmo sangue lhes permeia a pele bela e sem vida. Que vejam neles o mais intenso dos sentidos e que possam confundir-se em serem tão grandiosos. Que possam temer serem tão severos, que possam entender suas reais funções num mundo de inconsciências relativas.
Há tanto entre eles e eles próprios que viver fez deles caçadores de distrações. Jogadores de um jogo finito de intenções e conseqüências. E, embora o mundo não haja de conhecê-los, eles estão por toda parte, mascarados e intensificando os sedentos por alma. Não há má sorte em cruzar caminho com esses, eles só têm a oferecer-te o que tanto anseia, desde sua alma ao mal interpretado livro dos sábios.

6 comentários:

thiago toscani disse...

Textos potentes, hein?
Vou ler mais, e com mais calma!

Abraço

Thiago Toscani
www.ttoscani.blogspot.com

grupo gauche disse...

O texto está muito bom mesmo, o mundo é cheio de pessoas com máscaras e de muitas faces. um abs

Ana Lucia Nicolau disse...

concordo co o comentário do grupo gauche (anterior)
parabéns pelo blog...muito bom

Carol°°°Paula disse...

escreves bens!
hj as pessoas realmente usam mascaras para esconder o q são d verdade

Þ€đŘǿ disse...

Tenho pavor de vampiros emocionais; realmente sugam a nossa energia... humpf! =/

Renan disse...

Hugo, dá pra parar de escrever tão bem?
Texto incrível, profundo e angustiante!