domingo, 12 de outubro de 2008

Beautiful (He has his way)

Hoje, mais uma vez, tive de notar algo em meio às turbulências desse mundinho tão sem vantagens como o de vossas senhorias. E vejam só, consegui mais uma vez não ser ignorante, eu residi e sei do que estou falando.
Os pensamentos desta vez foram:
"Por que você acha que os andarilhos geralmente são loucos?"
Claro que são, assim como eu, e decididamente sabem sobre seus destinos. Viva realmente vivo e abrace-a sem pestanejar como conseqüência de tal ato. Isso é quase um lema.

Ele é um andarilho, claro, é um andarilho, daqueles poéticos, que te param na rua e ainda descalços mostram-te suas verdades. Você olha, mas nem ao menos sorri, julga-o louco, lógico, louco, afinal, que ser é esse que te pára em plena rua, tão urbanizada, e inicia a proferir um conceito de vida.
Louco, evidente que sim.

Ah, droga! É claro que não são loucos, vocês é que são. Vocês quem costumam buscar sabedoria em livros, VOCÊS é que insistem em roubar frases de filmes. Vocês que continuam ocultando o amor do mundo. Loucos, eles? Cite-me, então, um de seus pensamentos. Mesmo que sejam anéis.
Então, note quão raro é sentir-se assim. Quantos poderiam mudar de vida por querer explodir às vezes. É tão puro que chega a doer ser você mesmo. É tão digno que te envergonha não poder sustentar tanto poder de vida, nem por segundos a mais por apenas desejar ser isso por um tempo maior.
É exatamente assim que me sinto por querem ser apreciador por mais tempo.
___________________________________________________


— Desculpe-me por não saber escrever, eu juro, de todo coração, que gostaria de delatar a ti todo meu anseio. Sabe, é tão grande que sinto que meu peito explodirá. A pressão torna-se cada vez mais forte, e sim, posso senti-la. Por vezes tentei forçar ainda mais e quem realizou o trabalho foram meus olhos. Mais uma vez você estava à minha frente e fitava-me com tanta verdade que dei razão novamente à profecia. De novo, sem entender, você me pergunta, pergunta e pergunta. Que necessidade porca é essa de saber, de estar a par da situação. Que mania maldita é essa de controle dos humanos. Apenas abraça-me, e diga aquelas palavras. Tão somente elas podem arrancar de mim ainda mais lágrimas. Eu quero acreditar. Quero que tirem minhas armas. Eu quero não ter saída, pois a cada dia torna-se mais difícil crer que alguém faça desse poder uma realidade. Anseio tão somente o que me desperte.

O quê, de fato, me desperte.

11 comentários:

Lopes, Lylla disse...

-
Adorei o blog, muito bom mesmo. Eu, particularmente adoro ler algo realista, e se não for... que ao menos pareça ser.. e o seu texto tá perfeito pros meus padroes.

volto aqui sempre que puder ;*

Pedro453dm@hotmail.com disse...

gostei bastante.

mas tem alguma coisa me incomodando aqui no seu blog

acho q deve ser o meu sono q tah me tirando a paciencia

=p

Nicolle Longobardi disse...

Nossa seu blog é muito bom menino!
Você tem potencial para escrever um livro!Você escreve muito bem!
Parabéns,depois visita lá meu blog e comenta lá,acho que vai gostar!Beijos,até mais!

Fernando Gomes disse...

Achei uma boa reflexão, mas confesso que fiquei meio perdido em algumas partes..

Sabe por exemplo quando tem dois amigos conversando e estes decidem xingar uma terceira pessoa que você não faz nem idéia quem seja?

mais ou menos essa sensação, mas seu potencial para escrita é inegável.

Talvez eu volte aqui mais vezes.

Abraço.

lubyecharges/ disse...

adorei o post.
parabéns pelo blog.

boa semana, bjos

Diego disse...

gostei muito do blog.
o texto também esta ótimo.
você faz um bom jogo de palavras.
parabéns!

Liberdade Sagrada disse...

Meu caro e chará, não se preocupe em ser ignorante ou culto, sempre somos os dois sempre!


Mas o caminho é arte da dúvida e da crítica e isto você despertou bem no texto....


=D


abraçao!

Daniely disse...

rs...quando eu vejo um andarilho "louco" eu penso: "cada um foge da realidade como lhe convém...ele declamando na rua, eu ind pra faculdade" Acho que não é questão de ser louco, é só de não aguentar o real, que é tão pesado...
=]
Adorei seu modo de escrever, a reflexão no final foi linda!

p.s:não bancou o bocó não, o que eu quis dizer é exatamente o que vc entendeu!!

30 e poucos anos. disse...

òtima narrativa...belo post

Renan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renan disse...

Sua narrativa apresenta uma conduta insana, revelando um possivel sentido, mas apenas passível de divagações superficiais, não se encontrando o mais profundo significado.
Tão intrigante e magistralmente construida que fez despertar o louco que existe em mim e audaciosamente me fazendo fruto de uma fantasia constante.
Adorei.